Por que ter um dia de conscientização do Alzheimer?

21 de setembro: Dia do Alzheimer – conheça a doença e a importância dos hábitos saudáveis para uma velhice tranquila

No Brasil, cerca de 100 mil novos casos de Alzheimer são diagnosticados todos os anos. Ao todo são 50 milhões de pessoas que convivem com a doença em todo o mundo.

Em 2020 mais de 28 milhões de brasileiros vão ultrapassar a marca dos 60 anos de idade. A população considerada idosa pela a Organização Mundial da Saúde (OMS) já representa 13 % dos brasileiros, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). E esse percentual tende a dobrar nas próximas décadas, segundo a Projeção da População, divulgada em 2018 pelo IBGE.

Se por um lado o público 60+ está vivendo mais e fazendo mais coisas, por outro lado, especialistas em longevidade já apontam para um aumento proporcional de doenças degenerativas, como o Alzheimer, que hoje tem prevalência entre as demências no mundo.

A doença acomete cerca 50 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, esse número chega a 1,2 milhão, segundo a Associação Brasileira de Alzheimer. No caso do Alzheimer, familiares e amigos próximos também são impactados diretamente pela doença. Por isso é tão importante falarmos mais sobre a doença para conscientizar a todos.

O que é Alzheimer?

É uma doença neurológica degenerativa, progressiva e irreversível, que afeta a memória, a fala e a noção de espaço e tempo do paciente, podendo provocar apatia, delírios e, em alguns casos, comportamento agressivo. Em geral, a doença afeta pessoas com mais de 65 anos, mas existem pacientes com início por volta dos 50 anos.

Um dos primeiros sintomas é a perda de memória para fatos recentes. Depois, ocorre a desorientação quanto a lugares e datas e mudanças de humor e comportamento – irritabilidade e agressividade.

Veja alguns sinais e sintomas de alerta para o Alzheimer:

  • Problemas de memória que afetem as atividades diárias;
  • Dificuldade de raciocínio e de comunicação;
  • Desorientação no tempo e no espaço;
  • Diminuição da capacidade de juízo e de crítica;
  • Oscilações do humor e comportamento.

O que causa o Alzheimer?

As causas da doença não são totalmente conhecidas e alguns estudos citam fatores importantes para o desenvolvimento da doença, como: pré-disposição genética, escolaridade, hipertensão, diabetes mellitus, acidente vascular cerebral (AVC) prévio, colesterol aumentado e idade avançada.

Ainda não existe uma medicação preventiva, mas é possível adotar hábitos e comportamentos saudáveis para manter o equilíbrio da saúde física e mental. Tais como:

  • Ter uma vida ativa e com objetivos;
  • Praticar atividade física regular por pelo menos por 150 minutos por semana;
  • Controlar os fatores de risco cardiovascular, como a hipertensão e diabetes;
  • Procurar estudar e adquirir conhecimento;
  • Trabalhar sua capacidade de concentração;
  • Ter uma boa qualidade de sono;
  • Adotar uma alimentação saudável e balanceada;
  • Fazer exames de check-up periódicos;
  • Se tem diabetes ou hipertensão arterial, faça o acompanhamento de controle com seu médico;
  • Seguir todas as orientações de uso correto dos medicamentos quando iniciar algum tratamento médico;
  • Evitar a automedicação e pedir sempre a orientação de um farmacêutico.

Até o momento, não existe cura para a Doença de Alzheimer. Os avanços da medicina têm permitido que os pacientes tenham uma sobrevida maior e uma melhor qualidade de vida, mesmo na fase grave da doença. Por isso, busque mudar as atitudes de vida desde já para ter mais saúde e um envelhecimento saudável.

<